Um Caso de Paixão

jan 5 '10

Comentários: 0

Um Caso de Paixão

Não fosse uma frase já tão desgastada, e de apelo fácil, esta crônica poderia também se chamar “O segredo do sucesso”. O que, aliás, não é segredo algum: quando se trabalha com alegria e entusiasmo, focando exatamente naquilo que faz o nosso coração vibrar, o trabalho, transformado em prazer, invariavelmente alcança resultados surpreendentes.

Se o Congresso Mundial de Salsa do Brasil pode ser considerado um evento de sucesso, e chegou à condição de maior evento de salsa do Brasil, maior do gênero na América do Sul, e um dos maiores do mundo, sem dúvida alguma esse fato se deve principalmente a esse sentimento com que ele foi concebido, planejado e, desde a sua primeira edição, realizado. É claro que diversos fatores, reunidos, são responsáveis por uma trajetória vitoriosa como essa, desde o 1º Encontro Nacional de Salsa, em 2001, até a 6ª edição do Congresso Mundial de Salsa do Brasil, agora em 2008. Iniciativa, coragem, dedicação, ética, força de vontade, entusiasmo, criatividade, seriedade, superação, estão entre eles. Mas sem dúvida o maior, mais importante e o mais impressionante fator, é exatamente esse: a paixão.

E não se trata aqui, unicamente, da paixão exclusiva dos seus criadores e realizadores. Mas do sentimento grande que evolve todas as pessoas que sempre fizeram parte deste projeto e desta trajetória, e estiveram, de alguma forma, envolvidos, seja na organização ou divulgação, como membros ou colaboradores da produção, profissionais convidados ou público participante do evento.

Mais do que a alegria do aprendizado, prazer dos momentos de descontração e lazer, satisfação de um trabalho bem feito, o que sempre se destacou nas salas de aula, salões de baile, palcos de show, pistas de dança, camarins, bastidores, corredores, nas mesas, balcões de bar, foi sempre esse sentimento indescritível, imensurável, que só quem experimentou sabe: a paixão em comum, por um evento realizado à várias mãos, e por uma dança, por um ritmo e por uma cultura que há muito extrapolou os limites dos lugares onde foi criada e cada vez mais agrega, conquista, contagia e une pessoas das mais diversas origens e das mais diversas regiões do planeta . Isso se vê no entusiasmo dos alunos, prazer dos professores, energia dos dançarinos, alegria do público e brilho no olhar dos casais na pista de dança. Também se vê na vibração dos DJs, músicos, técnicos de som, iluminadores e de todos aqueles que já tiveram a oportunidade de participar e compartilhar, trabalhando ou não, dessa energia surpreendentee contagiante.

Há muitas histórias, como a do casal de professores do Nordeste que só pode vir graças à mobilização dos seus alunos e amigos, numa “vaquinha”, para viabilizar a viagem. Ou do casal de professores e dançarinos do Sul, que forçou a alta da maternidade e mentiu no aeroporto para poder viajar com o filho de apenas quatro dias. Ou, ainda, a menina de Recife, que trocou a festa de debutantes pela vinda ao Congresso, como presente de 15 anos.

E justamente onde menos notamos é que ela (a paixão), é mais forte, mais intensa e mais importante: nas pessoas que produzem, organizam e trabalham, quase sem descanso, numa dedicação impressionante. Para que todos desfrutem e tenham mais do que um evento importante e bem organizado, mas único e especial. Muitos não aparecem, não freqüentam aulas, sequer dançam. Porém, há anos têm carregado na alma este Congresso. Produzindo, criando, redigindo, organizando, coordenando, decorando e atendendo, com competência, dedicação e entusiasmo raros, que só o verdadeiro sentimento da paixão pode proporcionar.

Obrigado Gilson Barbosa, Marcelo Conejo, Rodrigo Reis, Regina Marques, Luciana Chiodi, Francis Miszputen, Jairo Miszputen, Julie Mattos, Natália Mattos, Renata Alferes, Roberta Simon, Silvia Rinaldi, Leila Peres, Eisler Mijares, Judith Diago, Carol Marino, Fábio Garcia, Clarice Guimarães, Vagner Malaquias, Andrézinho, Thiaguinho. Obrigado à toda Conexión Caribe Cia. de Dança, aos atuais e ex-integrantes que, mesmo afastados das atividades normais da Cia, sempre estão lá, a cada ano, vestindo a camisa junto com a gente. O Congresso não existira sem vocês. E mesmo que existisse, jamais teria a mesma grandeza não fosse o enorme sentimento e dedicação demonstrados nesses anos todos, onde sonhamos, trabalhamos e lutamos juntospor um ideal.

Posts relacionados

Leave a comment

O seu endereçp de email não será¡ compartilhado ou publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Top