Salsa – Estilos de Dança Pelo Mundo

jan 5 '10

Comentários: 0

Salsa – Estilos de Dança Pelo Mundo

Qual a diferença entre os Estilos Porto Rico, Cubano, Miami, Los Angeles, Israel, Colombiano, Ballroom e New York?Apesar de, à primeira vista, parecer uma dança única, a salsa sofre variações de estilo nos diferentes lugares do mundo onde se desenvolveu. Hoje em dia, podemos distinguir bem essas variações e as diferenças entre elas, classificando-as de acordo com as regiões, culturas e influências que determinaram as diferentes formas de interpretar, sentir e dançar a mesma música.A principal diferença se refere à forma de acentuar e executar os passos de acordo com os tempos da música. Fala-se muito em “dançar no UM” ou “dançar no DOIS”, o que na verdade quer dizer acentuar uma determinada batida ou outra da música, normalmente começando o passo no primeiro ou no segundo tempo do compasso musical.

Estilo Puerto Rico (Salsa em Linha)
O estilo porto-riquenho, por exemplo, pode ser dançado no tempo “um” ou “dois” da música, mas isso envolve uma grande técnica com os pés (“solo” se você estiver em Los Angeles e “shines” em New York). Há um ênfase maior em técnica com os pés do que no estilo nova-iorquino, entretanto, nos últimos anos isso tem sido discutido por muitos maníacos por Mambo em Manhattan.

Estilo New York
No estilo New York, há uma forte influência do Latin Hustle. É possível que na mania “disco” no final dos anos 70 e início dos anos 80, quando Eddie Torres era um dos únicos instrutores de New York, segurando a tocha do “Mambo Dance” com Tito Puente, a salsa quase se extinguiu para a Hustle Dance. Por causa da grande mania hustle daquela área, muitos dançarinos de hustle incorporaram vários dos seus movimentos no estilo Mambo durante aquele lento período transitório de volta à salsa no final dos anos 80 e início dos 90. Pelo fato de a salsa ser uma dança muito diversificada e não haver regras reais de estilo, uma vez que você aprende qualquer um deles, tenderá a se apegar àquele estilo quando fizer uma transição para a Salsa.
Em New York,  por causa da alta concentração de imigrantes porto-riquenhos, o estilo porto-riquenho assemelha-se ao atual estilo nova-iorquino, “Hustle Latino” ou o que chamamos de “Mambo no Dois”.
O enfeitado trabalho de pés (shines) é muito forte em New York por causa dessa influência. É quase uma disputa; se fazem mais “shines” em New York que em Porto Rico.Estilo L.A (Los Angeles)
A influência primária em Los Angeles é o “West Coast Swing” e a “Ballroom Latina”. Muitos dos truques exibicionistas e movimentos “Cabaret” são tirados do “Weast Coast Swing” e da “Ballroom Latina”, que são prevalecentes, altamente competitivos e influentes por toda a costa central e oeste dos Estados Unidos. Diferente de Miami, não há muitos imigrantes cubanos em Los Angeles, conseqüentemente o estilo de Salsa é predominantemente um híbrido de Swing, Ballroom e um leve estilo porto-riquenho.
Estilo Cubano

Em Cuba, a salsa (ou o Casino, como é chamada lá) é dançada de forma mais descontraída, irreverente, com muitos giros, tanto dos homens quanto das mulheres, e é caracterizada pela sensualidade tipicamente cubana dos movimentos dos dançarinos. Muitas vezes a música determina o estilo da dança. Se há uma grande quantidade de percussão, as damas podem brilhar com seus incrivelmente bonitos e ritmados movimentos de corpo (os ritmos contemporâneos mais rápidos das bandas mais populares, como “Charanga Habanera” e “Los Van Van” têm estimulado isso) e não raras vezes, os homens também executam solos, misturando inclusive elementos de outras danças cubanas como o Són, a Rumba e o Guaguancó.

Apesar dos muitos giros e voltas, cada vez mais elaboradas, as damas permanecem a maior parte do tempo seguras bem próximas ao seu par, diferente dos estilos New York e Los Angeles, onde é mais comum a forma de dançar em que se estende os braços e dedos (com movimentos de mãos influenciados pelo Flamenco), mostrando um estilo sexy diferente que emprega menos o movimento de quadris e mais os efeitos de mãos e braços, que passam pelos cabelos e pelo corpo. Nesses estilos, os Cavalheiros “mostram” a dama completamente e permitem que ela crie seu estilo com os braços, os quadris e a cabeça. A dança “a dois” no âmago da música cubana é também mais difícil, pela sua variação rítmica, embora possa ser feita com os ouvidos bem treinados.

Os novos sons da música cubana dão ênfase aos tempos “um” e “três” do ritmo, muito mais do que ao tempo “dois”. Os ritmos são também muito mais rápidos, conseqüentemente o estilo “solo” é usado mais freqüentemente do que com o parceiro. Com a abertura de Cuba e cada vez mais músicas cubanas e bandas visitando os Estados Unidos e outros países, o estilo de dança em “dois” deve tornar-se mais resistente para a maioria dos dançarinos iniciantes, a menos que as pessoas ainda ouçam ao estilo de música porto-riquenho e também Salsa de Porto Rico, New York e Los Angeles. Será interessante ver como o estilo de dançar em New York e em outras cidades do mundo mudará com mais e mais músicos de estilo cubano entrando no mercado.

Estilo Colombiano

Depois de falar com vários colombianos e assistir a suas demonstrações, é possível chegar à conclusão que a salsa é dançada diferentemente por toda a Colômbia. Em Cali, é mais exibicionista e em outras partes mais campestres do país, a Salsa é dançada de uma forma mais fechada, com as cabeças se tocando em alguns casos. Entretanto, o fundamental é que não há movimentos dos pés para frente e para trás. É simplesmente o que se chama estilo Cumbia que se dança com movimentos alternados dos pés para trás ou para o lado. Não há muitos truques, giros ou rodopios no estilo colombiano ? exceto no caso de um dançarino profissional, que participa de bandas ou competições. Em alguns videoclipes de dançarinos colombianos profissionais é possível vê-los fazendo incríveis saltos e dançando com a dama ao redor do pescoço do cavalheiro, o que não é usual, mas utilizados simplesmente para shows. Na dança social e casual, o estilo colombiano é muito mais calmo e fechado onde os corpos dos dançarinos se tocam quase completamente da cabeça aos pés.

Estilo Ballroom

É o que é chamado oficialmente de Mambo “Ballroom”. Aqui não há truques, rodopios rápidos, mergulhos ou saltos. O Mambo “Ballroom” é normalmente dançado nos tempos “dois”, “três” e “quatro” da música, onde os dois pés vêm completamente juntos numa quase “parada” nas batidas “quatro” e “oito” da música. Isso é normalmente ensinado em estúdios de dança profissional por instrutores profissionais de “ballroom”. O estilo de Mambo “Ballroom” difere do estilo “Razz M Tazz” de dança de New York em “quatro”, “cinco” e “seis”. Este estilo é mais exibicionista e tem uma grande influência do Hustle. Ele também difere do método “5, 6, 7″ de ensinar mambo no “dois”, de Eddie Torres, que também tem uma grande influência Hustle e inclui um grande número de rodopios e trabalho de pés bem elaborado (shines).

Estilo Miami

Conforme afirma o instrutor de Miami, Rick Pagan, embora os salseiros de Miami sejam na sua maioria descendentes de cubanos (apesar da grande quantidade de porto-riquenhos e outros latinos), a Salsa de Miami é diferente do tradicional estilo cubano.

Quase nunca seguram na cintura; sempre nas mãos, sem usar os polegares. Além disso, o estilo tradicional cubano não tem muito trabalho com os braços como o estilo de Miami, que requer “braços de espaguete” por parte das damas. Na Salsa de Miami as damas são muito bem exibidas; de fato o nome de um d
os passos de “Rueda de Casino” é “exhibela” que significa exibir a dama.

O estilo de Miami é predominantemente dança em casal; a quantidade de dança “solo” é extremamente pequena, talvez limitada pelo nível master de dançarinos que adoram rodopiar antes de pegar a dama (ou “recoje”, como é chamado) para uma condução “Cross-Body” ou “Dile Que No” como é chamado em Miami.

Apesar de Miami ser mais famosa pelas “Ruedas de Casino”, a quantidade de rodas dançadas em clubes não é grande e, acima de tudo, a quantidade de clubes onde rodas espontâneas são dançadas é mínima. Como Los Angeles tem seu próprio estilo e New York também (apesar da grande quantidade de porto-riquenhos em New York), deve ser dado o devido reconhecimento ao estilo de Miami, e assim como o estilo porto-riquenho e nova-iorquino são diferentes, os estilos de Miami e de Cuba devem ser reconhecidos como diferentes também.

Estilo Israel

Os israelenses têm um estilo de dança único e próprio. A melhor forma de descrevê-lo é como um gingado rápido, para frente e para trás, parecido com o estilo de Los Angeles e depois atrás e atrás, como a Cumbia. A diferença é que a dama é freqüentemente conduzida para um rápido giro à direita e logo após à esquerda sem dar seu real passo para trás, num tipo de movimento pendular rápido para trás e para frente. Em Los Angeles e New York, normalmente, depois de um giro ou uma condução “cross-body” (Dile Que No), a dama dá um passo atrás com a perna direita, terminando a batida número “cinco”, havendo bastante tempo para isso.

Entretanto, em Israel, as damas colocam os pés quase juntos logo após o giro e podem algumas vezes até dar um suave passo para frente de algumas polegadas com a perna direita depois do giro. Isso ocorre por causa da maneira como o cavalheiro posiciona a dama em um giro em uma direção e imediatamente em seguida para a outra direção, como ocorre nos giros da Cumbia.

A dama não pisa atrás depois de cada giro. Ela tem de estar imediatamente pronta para o próximo giro, mesmo se o pé direito estiver algumas polegadas à frente.

Posts relacionados

Leave a comment

O seu endereçp de email não será¡ compartilhado ou publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Top